05 abril, 2016

O Demônio da Perversidade de Edgar Allan Poe


Sabe quando temos a impressão de que existe uma vozinha no pé do nosso ouvido dizendo "faça algo ou não faça"? Pois é, esse conto ficcional de Edgar Allan Poe, que foi publicado pela primeira vez em Julho de 1845 na Revista Graham, trata desses impulsos e o intitula de o Demônio da Perversidade. 

"Sob sua influência nós agimos pelo motivo de não devermos agir."

Imagem - Reprodução/Sobreomedo

É um conto bem curto mas com teor psicológico extremamente profundo. No início, um narrador que aparenta ser muito culto e bastante conhecedor de várias áreas de estudo, põe em pauta inúmeros questionamentos. Um deles é a frenologia (doutrina segundo a qual cada faculdade mental se localiza em uma parte do córtex cerebral e o tamanho de cada parte é diretamente proporcional ao desenvolvimento da faculdade correspondente), sobre a qual ele discursa nos primeiros parágrafos colocando em "xeque" os nossos impulsos.

"O impulso converte-se em desejo, o desejo em vontade, a vontade numa ânsia incontrolável, e a ânsia (para profundo remorso e mortificação de quem fala e num
desafio a todas as conseqüências) é satisfeita." 

Apesar de ter estudado 2 anos a disciplina de Psicologia na faculdade de Eudcação Física, não sou conhecedora do assunto, apenas uma curiosa. Mas é possível identificaar nesse conto uma repressão muito profunda que foi estudada mais tarde por Sigmund Freud. Ansiedade, angústia, conflitos internos, sentimentos opostos também são encontrados nessas poucas linhas.

"Chega o dia seguinte e com ela mais impaciente ansiedade de cumprir nosso dever, mas com todo esse aumento de ansiedade chega também um indefinível e positivamente
terrível, embora insondável, anseio extremo de adiamento. E quanto mais o tempo foge, mais força vai tomando esse anseio. A última hora para agir está iminente. Trememos à violência do conflito que se trava dentro de nós, entre o definido e o indefinido, entre a substância e a sombra. Mas se a contenda se prolonga a este ponto, é a sombra quem prevalece. Foi vã a nossa luta. O relógio bate e é o dobre de finados de nossa felicidade."

Diferente do início do conto, na segunda parte tomamos conhecimento de que o narrador está preso em uma cela, e ele nos conta angustiado o que o levou até aquele lugar. 

"E agora minha própria e casual auto-sugestão de que poderia ser bastante tolo para confessar o assassínio de que me tornara culpado me enfrentava como se fosse o
autêntico fantasma daquele a quem eu havia assinado a acenar-me com a morte."

Já havia lido esse conto mais de uma vez, mas devo confessar que não é uma leitura fácil, exatamente por ter esse início intangível. Como sempre recomendo Poe pra todos os leitores, mas quando chegar aqui leia-o com calma, mais de uma vez se for necessário. É algo bem profundo mas possível de entendimento. Mas se no final encontrar questionamentos sobre sua própria existência, não entre em pânico, talvez tenha sido exatamente esse o objetivo do autor.

Esse post faz parte do Desafio 12 Meses de Poe criado pela Anna Costa

40 comentários:

  1. Oiie tudo bem?

    Quando li o nome do livor, confesso que fiquei com muito medo rs Não sou chegada em livro desse gênero, e ainda mais sendo contos. Como você mesmo disse é um livro difícil de ser lido e entendido, ainda mais por se tratar na área de psicologia, tão complexa. Então, acho que não é um livro que eu leria, não nesse momento.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Nelmalina, eu não gosto de livros ou filmes de terror mas quando comecei a conhecer esse autor, eu não lia nada dele porque achava o terror pesado demais e não me interessava. Mas com esse projeto eu fui vendo que apesar de ser terror, tem um plano de fundo muito interessante. Esse conto, por exemplo, só o título me afastaria da leitura mas lendo a sua resenha eu vi que é uma obra magnífica e que estranhamente me atraiu muito. Achei o enredo bem construído e a complexidade me instigou.

    ResponderExcluir
  3. Oii, já fico interessada só por causa do autor. É um genero que me agrada bastante, especialmente por causa de sua desenvoltura no texto. Imagino mesmo que não deva ser uma leitura fácil porque já li alguns contos seus r passei pela mesma sensacao. Também vivo recomendando Poe para meus amigos.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  4. Oi, já conhecia o conto, mas ainda não o li. Interessante que com os outros contos do Poe, também é necessário ler com calma e as vezes, mais de uma vez para poder ser atingido da forma certa, ou talvez, apenas para poder opinar com propriedade. Adorei a dica e pretendo ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Acho interessantr um conto aborda exatamente esse lado da "vozinha" falando o que é para ser feito ou não. Discutir um ponto psicologico em livros é sempre algo que desperta curiosidade e Poe sabe fazer isso bem ;)
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  6. Eu amo a escrita de Poe, mas não indico a leitura a todos, exatamente porque nem todos curtem, ou ainda nem todos tem costume em ler coisas tão densas em um linguagem tão diferenciada quanto a atual. Isso acarreta o desgosto de certos leitores e só quero me rodear de amantes de Poe... kkkkkkkkkk....
    Gosto muito do teor psicologico desse conto... e fico feliz em ver mais divulgação sobre as obras do autor, já que faz tempo que já li alguns de seus trabalhos e nunca encontrei resenhas deles.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Adoro Poe.
    É um dos autores que mais influenciam no psicológico do leitor. Sem dúvidas é um conto que vale a pena ler, mas não é fácil.
    Espero ler e gostar. Estou adorando as postagens sobre esse autor.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  8. Oiii, tudo bem?
    Confesso que ainda não tive oportunidade de ler nenhum dos livros deste autor e isso me incomoda kkkkkk sempre vejo ótimas indicações como sua, é um dos meus gêneros favoritos, mas diante dessa sua resenha, quem sabe eu ficaria meio perturbada ainda mais de noite kkkkkkk
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Não li Poe ainda e não deve ler tão brevemente. Não é um autor cujo os livros me atraiam e nem mesmo diante de muito elogio consigo me interessa muito pela leitura. O fato desse conto, e acredito que de outras obras dele, terem essa linguagem complexa desanima mais ainda. Hoje em dia estou tão lerda com minhas leituras, que acho que passaria o ano todo só lendo esse conto.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  10. Oi, até hoje não li nada do Poe e por enquanto não pretendo ler, mas respeito e sei o peso que ele tem na literatura, mas acho que ainda não estou preparada para ler os livros e contos dele, mas quem sabe não leia algo dele ainda esse ano, talvez em outubro, no mês do horror.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie, gostei do conto e do seu teor, apesar de nunca ter lido nada do Poe, mas gosto desses enredos psicológicos. O que me desanima é o fato de ser conto, eu não sou tão fã de ler coisas curtinhas mas acho que daria uma chance, com certeza, ainda mais que possivelmente encontrarei questionamentos sobre mim mesma, ee. Gostei do desafio de doze meses de Poe.

    ResponderExcluir
  12. Olá Nelmaliana,

    ainda não li esse conto, tenho uma obra de Poe com diversos contos, vou até olhar e ver se tem. Gosto muito de Poe. Adorei sua opinião/resenha, vou procurar logo e ler esse conto. Gosto por vezes de ler algo mais trabalhado, mais profundo. Obrigado pela dica. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Vejo tanta gente falar do Poe e até hoje nunca tive contato com nada dele! Por ser algo que precisa de uma atenção maior, eu vou esperar um pouco mais, não estou em um bom momento para leituras assim... Adorei o post!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Uia, macabro demais pra mim rsrs. Sou uma medrosa assumida, então to sempre fugindo de contos e histórias de terror. Mas vejo que Edgar Allan Poe é um queridinho por todos que curtem o gênero, então, prato cheio pra vcs. ;)
    Abraços
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Esse conto é macabro, hein?
    Já tentei ler Poe várias vezes mas não consigo. Acho que isso se deve por toda a complexidade dos seus trabalhos.
    Pelo que pude notar, é um conto que deve ser lido e relido para ser entendido. Infelizmente, não sinto vontade de fazer a leitura.
    Desejo que, os fãs do gênero e do autor, curtam a leitura.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  16. Olá!

    Pelo ponto de vista psicológico - gosto muito dessa área, apesar de não ser especialista nem nada -, acredito que o livro dará muito no que pensar e analisar, olhando por este ponto eu adoraria fazer a leitura. Mas, num contexto geral, não acho que eu iria me manter interessada durante a leitura, o autor tem uma escrita muito "difícil", e livros assim não me atraem. Por isso deixo a dica passar!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bom?

    Nunca li nada do Poe, mastenho muita vontade. Achei a ideia desse livro muito legal, principalmente por gostar também um pouco de psicologia. Como nunca tive um contato com o autor e você disse não ser uma leitura fácil, não o leria como primeira experiência, mas certamente mais pra frente. Obrigado pela dica!

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oiee ^^
    Nunca li nada do Edgar, mas morro de curiosidade de conhecer a escrita dele, pois sempre vejo elogios para as obras dele. Ainda não conhecia esse conto, mas achei muito interessante. Parece ser uma história que exige total atenção do leitor, né? Eu sou uma pessoa que se distrai facilmente, então acho que seria um pouco difícil para mim...hehe'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Confesso que já tentei ler algo do Poe, mas não consigo concluir. Preciso tentar mais algumas vezes, posso ser surpreendida. Achei muito sinistra a imagem divulgada, e quanto ao conto, estou na dúvida sobre a leitura. Vou anotar para ler em outro momento.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  20. Olá, sabe que eu nunca li nada do autor mas sempre ouço falar muito bem dele, sem contar que ele é um clássico do gênero. Aliás, já li uma biografia dele e gostei muito, isso já tinha me animado a ir atrás dos contos, pena que não tive tempo ainda, mas esse parece muito bom!

    Beijos

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/04/luz-camera-e-acao-17.html

    ResponderExcluir
  21. Oi Nelmaliana.

    Eu também estou participando do desafio de Poe e li este conto. Eu achei ele um pouco complicado de entender, contudo é um conto muito bom e vale a pena ler.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oi, Nel
    Apesar do teor psicológico que geralmente me atrai, e por ser um conto do qual também gosto, eu acho que não leria. Não senti curiosidade de ler a história. De qualquer forma, para quem curte contos assim parece ser uma ótima dica. Legal a recomendação.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. "se no final encontrar questionamentos sobre sua própria existência, não entre em pânico, talvez tenha sido exatamente esse o objetivo do autor." ADOREI kkkkkkkk

    Morro de vontade de ler algo do Poe. Na minha época de colégio era quase uma regra de que quem gostava de Sherlock não podia gostar do Poe... e como sou fã eterna do Holmes, vc imagina kkkkkkk'

    Espero ter a oportunidade de conferir algum conto dele. Creio que a leitura mais complexa ajuda a estimular a mente *-*

    bjs - Sonhos em Tinta

    ResponderExcluir
  24. Olá

    Nunca li nada do poe justamente por falarem que a leitura é densa e complicada, mas tenho curiosidade quanto as coisas que ele escreve. Esse em especial não me chamou atenção pra falar bem a verdade esse negocio de demônio meio que incomoda então deixou passar.

    Bjos
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Eu estou precisando ler alguma coisa do autor, faz anos que não leio nada, acho que desde a faculdade. Gosto quando no final de uma leitura ficam alguns questionamentos, e em se tratando de Poe, acho mesmo que era intencional.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  26. Olá Nelmaliana!
    Eu to morrendo de curiosidade com esse conto pois tenho visto muitos comentários sobre ele ultimamente e não tinha conhecimento sobre ele. Adoro as histórias do Poe e em sua maioria é dificil não se fazer uma autoanálise. ^^

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Já ouvi falar muito do autor, mas o gênero por ele abordado não me agrada em nada, então essa dica eu deixo passar.
    Bjos

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Olá, já li varios contos do Poe, mas esse eu ainda não conhecia e gosto muito dessa coisa psicológica que ele insere em suas histórias. Vou procurar para ler e seguirei seu conselho de fazê-lo com calma e atenção. Ótima dica. Bjs

    ResponderExcluir
  29. Olá,

    Esse é o conto que mais gosto de Poe dessa coleção, porque ele explica que a Perversidade é algo "natural" e está em todos nós. Ela não apossa com nosso cotidiano, mas está circulando pelo nosso sangue e pode se apoderar de nossas atitudes a qualquer momento e isso gera uma disputa interna entre o "Bem" e o "Mal".

    Beijos,
    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  30. A temática do conto é muito interessante, acho que todo mundo tem atração pelas coisas da mente,principalmente quando elas meio que justificam nossas ações mais torpes e o mal que existe em cada um de nós e tentamos esconder.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  31. Achei super interessante o tema do conto, mas acho muito pesado para mim, receio que ainda não seja a hora de ler Poe.
    Anotarei a dica para ler no futuro!
    Beijo

    ResponderExcluir
  32. Oi, nunca li nada do autor, mas estou vendo muitos blogs participando desse projeto e conhecendo obras que parecem ser muito interessante. Parabéns pela resenha.

    http://mysecretworldbells.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Olá.

    Eu conheço o autor, mas nunca li nada dele. Acontece é que eu não gosto muito desse gênero. Eu sou muito medrosa e esse livro eu vou deixar passar rsss Mas vejo que ele é um prato cheio para quem gosta de terror e tramas complexas. Quem sabe eu não leia algum dia?
    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  34. Oi. Queria muito participar desse desafio, mas não pude. Conheço pouco do autor, foram poucos contos dele que eu li, mas vou ler mais dele esse ano por conta de alguns trabalhos da faculdade. Espero poder ler mais dele.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Ahhhhh eu gostaria muito de participar,embora eu não conheça muito sobro o autor eu realmente não li nada sobre ele,apenas aqui a resenha dos trabalhos dele,mas tbm não é algo que me prendeu mas vale muito conferir o trabalho dele obg pela dica.

    bjo bjo
    http://rillismo.blogspot.com.br/p/resenhas.html

    ResponderExcluir
  36. Oiii! Ah, eu queria tanto participar desse desafio do Poe, mas ainda não li nenhum conto... Mas acho que sempre é tempo, né? Quero muito conhecer a escrita e estilo do autor. Achei essa história muito intrigante e fiquei curiosa para conferir todas as reflexões propostas. Acho muito legal o fato de ser curto, mas bastante profundo. Obrigada pela dica! Beijos

    ResponderExcluir
  37. Poe é mesmo bárbaro, e esse conto é magnífico. Quando li Contos Extraordinários dele, simplesmente não conseguia parar, Era um arrepio na espinha atrás do outro, mas eu continuava. Não é à toa que Poe é considerado um dos maiores escritores da literatura universal. Para mim, era um gênio da literatura.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  38. Muito bacana a sua resenha, Poe é sensacional e consegue adentrar e mexer com o psicológico do leitor de uma forma única. Esse é mais um conto extraordinário, embora seja realmente um pouco mais complexo.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  39. Olá, tudo bem?

    Com certeza uma leitura tensa, meio macabro, mas que, com certeza, nos faz refletir e refletir. Adorei a indicação desse conto, anotado aqui!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  40. Hey, tudo bem com você?
    A leitura me parece mais didática que tudo. Pelo que você falou, ao lermos esse livro teremos muito sobre o que refletir. Obrigada pela indicação do conto.

    Beijinhos da Mady.

    ResponderExcluir