30 março, 2016

Divulgação - Lançamentos DarkSide Books

E a caveirinha não para. Mal saíram os primeiros lançamentos do ano (link para conhecê-los), e lá vem ela toda faceira nos tentar com mais lindezas e histórias fantásticas. Já separaram mais um espacinho na estante? Então separem.

Donnie Darko por Richard Kelly
 

A visão original de uma obra-prima

Você ainda não viu esse filme. Mesmo que seja fã de carteirinha, e já tenha assistido a Donnie Darko mais de uma vez - ou dez, ou quinze, quem está contando? Pois a versão que a DarkSide Books está lançando na Páscoa de 2016 é inédita. Pela primeira vez no Brasil, você poderá entrar de cabeça no universo paralelo de Frank, Donnie e seu criador. Não se trata de uma adaptação do longa-metragem de 2001, e muito menos de um romance que poderia ter inspirado o cineasta Richard Kelly. Donnie Darko, o livro, apresenta na íntegra o roteiro original. A primeira materialização da história, sua chance de conhecer a visão original dessa intrigante obra-prima.
Kelly escreveu Donnie Darko muito antes de conseguir ordenar luzes, câmera, ação. E mesmo sem atores, figurinos e efeitos especiais, Donnie já estava lá, angustiado com o fim do mundo anunciado por um arauto vestido de coelho. Um detalhe interessante: boa parte da trilha sonora já estava lá, no roteiro. As canções escolhidas pelo cineasta – de bandas como Tears For Fears, Echo and the Bunnymen e INXS – ajudam a costurar a narrativa, como numa ópera pop do final dos anos 1980, período em que se passa a história.
A história de Donnie Darko é fácil de resumir – e talvez por isso mesmo ele tenha se transformado no filme preferido de tanta gente mundo afora: um adolescente problemático, com sintomas de esquizofrenia e sonambulismo, escapa da morte quando uma turbina de avião cai no seu quarto. Ele passa a ter visões com Frank, o humano numa estúpida roupa de coelho, ou seria o contrário?
Enquanto espera pelo fim do mundo (contagem regressiva em 28:06:42:12), e pelo Dia das Bruxas, Donnie enfrenta conflitos que todos nós já experimentamos em algum momento da vida: professores autoritários, a descoberta de uma paixão, hormônios à flor da pele, diálogos reticentes entre pais e filhos, a eterna busca pelo sentido da vida - se é que ele pode mesmo ser encontrado.
Além do roteiro original, Donnie Darko, o livro surpreende pelo conteúdo extra. A começar pelo prefácio exclusivo, assinado por Jake Gyllenhaal. O astro de sucessos como Zodíaco, Soldado Anônimo, Príncipe da Pérsia e O Segredo de Brokeback Mountain, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar, até hoje é parado nas ruas por admiradores que querem saber sua opinião sobre o que realmente Richard Kelly quis contar em seu filme de estreia.
Richard Kelly é filho de um físico da nasa e de uma professora de língua inglesa. Estimulado pelos pais, estudou literatura e artes plásticas desde cedo, e ganhou uma bolsa na faculdade de cinema da usc, na Califórnia. Aos 25 anos, dirigiu seu primeiro longa-metragem, o fenômeno Donnie Darko, considerado pela revista Empire o segundo melhor filme independente de todos os tempos, perdendo apenas para Cães de Aluguel, de Quentin Tarantino. Em 2009, dirigiu Cameron Diaz em A Caixa (2009), longa inspirado num episódio clássico de Além da Imaginação.


Ficha Técnica

Título - Donnie Darko
Autor - Richard Kelly
Tradutor - Antônio Tibau
Editora - DarkSide®
Edição - 1a
Idioma - Português
Especificações - 254 páginas (estimadas), Limited Edition (capa dura)
Dimensões - 14 x 21 cm



Menina Má por William March


Quando nasce a maldade?
Nascemos todos inocentes e somos corrompidos pelo mundo à nossa volta? Ou será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar mesmo na mais adorável das crianças?
Há 62 anos, um livro de suspense psicológico faria com que milhões de leitores discutissem apaixonadamente essa questão. Que livro era esse? Menina Má, mais um clássico que a DarkSide Books desenterra para os fãs do que há de melhor, e mais sombrio, na literatura mundial.
Publicado originalmente em 1954, Menina Má se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro “apavorantemente bom”. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, Menina Má ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.
Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
Menina Má é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.
O romance de William March, que chega as livrarias em 2016, é ainda uma excelente dica de leitura para os fãs da coleção Crime Scene, da DarkSide Books, que investiga casos reais de psicopatas. A ficção nunca antes foi tão assustadoramente real como em Menina Má.
William March nasceu em uma família pobre no Alabama, em 1893. Alistou-se na Marinha e combateu na Primeira Guerra Mundial, tendo recebido condecorações dos governos norteamericano e francês. Largou a farda logo após o conflito, e os horrores do confronto lhe inspiraram a escrever seu primeiro romance, Company K. Publicou seis romances e quatro compilações de contos. Morreu em 1954, um mês após o lançamento do seu livro mais celebrado, Menina Má.

“William March sabe onde os temores e
os segredos humanos estão escondidos.”
— NEW YORK TIMES —
“Uma verdadeira proeza artística.”
— ATLANTIC MONTHLY —


Ficha Técnica

Título - Menina Má
Autor - William March
Tradutora - Simone Campos
Editora - DarkSide®
Edição - 1a
Idioma - Português
Especificações - 272 páginas (estimadas), Limited Edition (capa dura)
Dimensões - 14 x 21 cm
ISBN - 978-85-66636-81-9


The Kiss of Deception - Crônicas de Amor e Ódio por Mary E. Pearson


Plante ilusões e você colherá do mundo grandes decepções

Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas – menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante – o lugar perfeito para recomeçar – ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.
O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.
The Kiss of Deception foi escolhido pelo comitê da Young Adult Library Services Association (yalsa) como umas das melhores ficções ya de 2015 e escolhido uma das principais fantasias de 2014 pelos leitores no Goodreads. Esta viagem extraordinária, repleta de ação, romance e mistério chega ao Brasil em março de 2016 pela Darkside® Books para integrar a Coleção DarkLove.
Mary E. Pearson é uma premiada escritora do sul da Califórnia, conhecida por seus outros sete livros juvenis — entre eles a série popular The Jenna Fox Chronicles. Mary é formada em artes pela Long Beach State University, e possui mestrado pela San Diego State University. Aventurou-se em trabalhar como artista por um tempo, até receber o maior desafio que a vida poderia lhe proporcionar:
ser mãe. Adora longas caminhadas, cozinhar e viajar para novos destinos sempre que tem a oportunidade. Atualmente, é autora em tempo integral e mora em San Diego, junto com seu marido e seus dois cachorros. Saiba mais em marypearson.com.

“Extraordinário [...] elaborado com maestria.”
— PUBLISHERS WEEKLY —
“Romance, Aventura, misticismo – este livro tem tudo isso.”
— SCHOOL LIBRARY JOURNAL —
“Uma fantasia deslumbrante e refinada.”
— CHICAGO TRIBUNE —


Ficha Técnica

Título - The Kiss of Deception
Série - Crônicas de Amor e Ódio
Autor - Mary E. Pearson
Tradutor - Ana Death Duarte
Editora - DarkSide®
Edição - 1a
Idioma - Português
Especificações - 406 páginas,
Limited Edition (capa dura)
Dimensões - 16 x 23 cm


Qual deles vai entrar na sua estante?

27 março, 2016

As Crônicas de Fedors - Livro 1 da série Os Livros de Esteros de Aldemir Alves

Livro - As Crônicas de Fedors - Livro 1 da série Os Livros de Esteros
Autor - Aldemir Alves
Editora - Selo Jovem - 275 pgs 

Esteros nos leva para um mundo medieval, onde reis se tornam homens individualistas, crianças são incentivadas a fazer o bem acima de qualquer coisa, e até mesmo o mal deixa de ser temido. Entretanto, a inocência é algo inevitável para um povo que só preza a paz.

Vamcast é o filho mais velho do rei do Norte, Mussafar. É um menino que desejou dominar o mundo aos 13 anos, não tinha amigos e buscava constantemente o afeto do pai que era um homem frio e descuidado. Por ser assim errou na criação do seu filho. 

Esse é o primeiro livro da série Os Livros de Esteros, e conseguiu me ganhar na primeira página. A história se passa no planeta Esteros, onde conheceremos a família Destrus que governa o reino de Naires, o continente nórdico do planeta. Mas calma, você não ficará confuso nem perdido em nenhum momento. Logo no início do livro tem um mapa que nos mostra onde os ambientes narrados estão localizados. 


Na página seguinte nos deparamos com um pequeno conselho do autor.

página 08

Isso foi o suficiente pra ganhar minha atenção. Nas páginas seguintes conhecemos 2 personagens um tanto misteriosos. Um deles é Salazar, que certo dia se depara com uma figura bem estranha, e quando se dá conta está diante de um morto-vivo: Fedors. Ele irá nos narrar uma história repleta de magia, batalhas, disputas familiares, e toda ordem de acontecimentos que podem surgir em uma fantasia medieval. O livro tem um mistura muito bem elaborada de tough lit e fantasia. Se eu não soubesse quem era o autor, poderia em diversos momentos acreditar que fosse Bernard Cornwell ou mesmo Tolkien. Sim, é possível perceber que o autor bebeu nessas fontes pra escrever seu livro, e como isso é bom. Também encontrarmos muitas referências a jogos de RPG (role playing game). A mistura dos estilos é muito bem costurada o que torna a narrativa extremamente envolvente e fluida. 

No início do livro temos um prefácio escrito pelo autor, mas eu recomendo que ele seja lido apenas após o leitor ter completado a leitura do livro. Não se preocupe, pois não contém spoilers, mas eu acho que tira um pouco da magia da história, e eu gosto de ser totalmente surpreendida durante a leitura. 

Outro ponto que deve ser citado, são as ilustrações de Junior Menezes e Aldemir Alves. Antes do início de cada capítulo ele nos agracia com uma ilustração fantástica do personagem ou algo que faça alusão aos acontecimentos das páginas seguintes. Eu não costumo gostar de imagens que mostrem as personagens, pois eu gosto de imaginá-las ao meu modo. Mas aqui, elas são tão reais e trazem um ar tão dramático à obra, que é impossível não admirá-las. 


Quanto a parte gráfica do livro, existem vários erros de revisão, mas nenhum deles influencia negativamente a obra ou o ritmo de leitura.

É apenas o primeiro livro, mas o autor constrói uma mitologia ricamente detalhada e com personagens bem estruturados.  Mais que recomendado pra quem gosta de uma fantasia medieval muito bem escrita, cheia de tramas, batalhas épicas e com personagens cativantes.

Comprar - e-book na Amazon
                 livro físico na editora


23 março, 2016

TAG Literária Lava Jato

Eu sou aquela pessoa que tem um caderninho cheio de tags, sim isso é verdade. Vejo, anoto e digo pra mim mesma que a farei. Porém, por algum motivo estranho do universo, acabo nunca fazendo. Mas hoje vai ser diferente. Hoje é o começo de um novo tempo onde farei tags. Aê, até que enfim.

Pra quem não vive no Brasil ou está completamente alienado, estamos passado por um momento ímpar. Falasse de política em todos os meios o tempo todo. E independente de qual seja o seu lado, uma coisa é certa: não há como ficar alheio a tudo isso. 

Hoje, quando abro minhas redes sociais me deparo com a Isa Vichi do canal Lido Lendo, respondendo a Tag Literária Lava Jato criada pelo Yuri Ra do canal Livrada. Eu adoro os dois e sigo há tempos, e achei massa demais essa tag. Tenho minha visão a respeito disso tudo e não usarei o canal em nenhum momento pra discutir o assunto. Mas por que não responder a tag? Então, vamos lá.


Foto - Reprodução/Noo

Procura-se de Giovanna Vaccaro
Eu amo Literatura Nacional, como eu acho que já deu pra perceber. Então abraço todos os livros e autores que encontro por aí. Mas esse livro me decepcionou muito, mas muito mesmo. Ele é ruim? Não. Mas muitas passagens me lembraram livros do John Green e o final é inverosímel, e isso acabou com tudo. 

Foto - Reprodução/RaizdaQuestão

The Complete Tales of Edgar Allan Poe de Edgar Allan Poe
Eu amo Edgar Allan Poe, sem dúvidas é meu autor estrangeiro favorito. Um dos primeiros livros que comprei na vida foi Histórias Extraordinários, que reúne alguns contos dele. Chegou uma época onde tinha mais de 10 edições diferentes. Até que ganhei do meu namorado esse livro. Aí foi amor demais. O livro tem toda a obra do autor e é lindo demais.

Foto - Reprodução/Reacionária

O Espadachim de Carvão de Affonso Solano
Sabe aquele livro que nas primeiras palavras você não quer mais saber de nada, além de lê-lo até o fim? Aconteceu isso com esse livro. Adorei todo o universo criado pelo autor, e me perdi nele. 

Imagem - Reprodução/NegócioFechadoUSA

Trilogia 50 Tons de Cinza da E. L. James
Não sei é todo mundo, mas a maioria das pessoas que conheço gostou. Mas pra mim não deu. Achei a história péssima, a narrativa fraca, desnecessário serem 3 livros, um seria suficiente pra contar tudo. 

Foto - Reprodução/Midiamax

Serial Killers de Ilana Casoy
Taí um livro pros corajosos e de estômago forte. Ainda estou lendo o Serial Killers - Louco ou Cruel?, e olha não tá fácil. A narrativa é fantástica, a edição primorosa, mas por vezes eu tenho que dar um tempo pra digerir o que é contado. Difícil aceitar que é real.

Imagem - Reprodução/BenettBlog

Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis
Façam qualquer coisa perto de mim, menos falar mal de Machadinho. Eu amo enlouquecidamente esse livro. Se eu tivesse que escolher um livro da vida, seria esse sem sombra de dúvidas. 

Foto - Reprodução/RádioPovo

Cisne de Eleonor Hertzog
Desde o lançamento desse livro fiquei desejosa dele. Mas nunca conseguia comprar, até que um dia deu certo uma compra pela net. Não, não deu certo. Porque o livro nunca chegou pra mim. Mas aí participei de um booktour e enfim o li. E amigos, que triste dizer isso, mas eu achei o livro ruim. Uma história boa, mas contada de uma maneira que eu odiei. Pra mim foi propaganda enganosa.

Foto - Reprodução/PragmatismoPolítico

Anardeus - No Calor da Destruição de Walter Tierno
Eu acho que esse livro tem atenção, mas é de um público muito restrito. Acho que deveria ter uma cópia dele em todas as bibliotecas, ter aos montes nas livrarias. Mas infelizmente não é isso que vemos. O comprei direto do autor, e nunca o vi em nenhuma livraria. 

Foto - Reprodução/NotíciasGospelPrime

Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll
Uma menina cai num buraco, encontra um coelho branco maluco, uma lagarta azul, um gato que ri, um chapeleiro no mínimo exótica, e uma rainha que faz coleção de cabeças. Sem dúvidas Lewis Caroll não estava normal quando escreveu esses livros. 

Foto - Reprodução/FolhaUol

Os Sete de André Vianco
Esse livro foi o responsável por eu me tornar uma leitora de literatura nacional, isso lá pelos idos de 2.002. Antes de lê-lo, literatura nacional pra mim eram os clássicos e Paulo Coelho. Depois dele abriu-se em minha vida um universo, do qual sou imensamente agradecida.

Foto - Reprodução/ÚltimoSegundo

As Brumas de Avalon de Marion Zimmer Bradley
Tem tantos que eu poderia encaixar nessa categoria, mas decide falar desse pela importância que tem na minha formação como leitora de livros de fantasia. O li a primeira vez aos 12 anos, e de lá pra cá mais algumas vezes. Suas personagens e histórias fazem parte da minha vida. 

Foto - Reprodução/NotíciasasMinuto

De Volta para o Futuro - Os Bastidores da Trilogia de Caseen Gaines
Essa também é uma categoria que poderia encaixar uma porção de livros. Esse livro foi lançado exatamente na data em que Marty McFly, sua namorada Jennifer e Doc Brown chegaram no futuro no 2º filme da franquia, em 21.10.2015, e 30 após o lançamento do 1º filme da franquia nos cinemas. Nada mais apropriado, né? 

Imagem - Reprodução/JornaldeGramado

Brave New World de Aldous Huxley
Eu só consigo falar o nome desse livro em inglês, não tem jeito. E tem um explicação muito simples pra isso. No 1º ano do ensino médio, minha professora de inglês (não lembro seu nome, :/) exigia que lêssemos um livro em inglês no início do ano e no final fazíamos um trabalho com ele. Você acha livro caro hoje em dia? Volte 30 anos no tempo e verá que hoje são quase de graça. Na época era muito raro ter livros de literatura em casa, salvo os exigidos pela escola. Eu li e pasmem, entendi o contexto. Essa professora foi a responsável por eu ler em inglês antes de falar.

A próxima categoria não é original do Yuri, mas sim de um de seus inscritos, que nos comentários deu a deixa. E como achei interessante, ela entra também.

Foto - Reprodução/ATardeUol

Os Melhores Contos de Edgar Allan Poe de Edgar Allan Poe
Olha o Poe de novo. E mais uma vez, o
utros livros se encaixariam nessa categoria. Mas os outros não são apenas decorativos. Já no caso desse, seu único e exclusivo motivo de existir, é decorar minha estante ¯\_()_/¯.    

Sintam-se todos tagueados.

19 março, 2016

Épicos Homéricos organizado por Maurício Coelho

Livro - Épicos Homéricos
Autor (Organizador) -  Maurício Coelho
Editora - Independente - 80 pgs

A mitologia grega está presente em vários costumes da sociedade atual. Sua influência vai desde esportes até nome de ossos humanos e nomes científicos de espécies. Seus conjuntos de mitos são inspirações para dezenas de filmes, seriados, teatro e livros ao longo do tempo. Em homenagem a um dos maiores poetas da Antiguidade, Épicos Homéricos traz nas páginas deste livro heróis, criaturas, deuses e uma infinidade de personagens que os autores selecionados para compor esta antologia são capazes de criar. Uma alegria em cada conto tão bem desenvolvido e escolhido, entre tantos, para você, leitor.

Eu sou uma apaixonada pela cultura grega desde criança. Li muita coisa sobre mitologia e alguns livros de autores gregos como Nikos Kazantzakis. Não sou uma especialista, mas aprecio muito a cultura.

O livro é um compilado de 13 contos organizados nessa antologia pelo autor Maurício Coelho. Antes de mais nada, se você não entende patavinas de mitologia grega, não se assuste. Sempre que algum dos autores cita o nome de um deus, semideus, ou algum termo específico da região, o organizador traz uma nota de rodapé que explica tudo direitinho. Então, mesmo que você não tenha nenhuma intimidade com o assunto não ficará perdido. 

É normal em livros de contos, você gostar de alguns e não de outros. Mas nesse, eu gostei de todos, sim todos. Cada um ao seu modo, traz uma visão diferente sobre o mesmo tema, e eu achei isso muito enriquecedor. Tornou a leitura mais interessante. Eu nunca sabia o que esperar nas páginas seguintes, mas quando chegava nelas era surpreendida por uma leitura prazerosa e envolvente.

Os contos não tem interligação, logo é possível ler apenas um ou em ordem aleatória. Mas não deixe de ler, é um obra que além de entretenimento traz um pouco mais de conhecimento sobre uma civilização fantástica.

Listas com os autores e os nomes dos contos

Johnatan Willow Dias de Andrade — Catilina versus Cícero
Gabriel Alves Godoi — Sangue no Mar
Pedro Batista — Mudar de Pele
Thiago d'Evecque — Do Outro Lado
Paulo César da Mota Pereira — O Outono Na Vida
Fred Sá Teles — A História do Deus do Amor
Jean Thallis — Zelos, O Touro Premiado
Vinícius Pacheco — Corrida para a Ilha de Creta
Gabriela Leão — Os Sacrifícios
Guilherme Leão Pereira — O Filho de Morfeu
Daniel de Santana Pelotti — A Última Aventura dos Heróis Gregos
Kelly Shimohiro — Um Dia Antes
Maurício Coelho — Asclepíade

Espero que tenho gostado, e me contem nos comentários se já leram algo ligado à Grecia.

18 março, 2016

Divulgação - Pérolas da Minha Surdez De Nuccia de Cicco - Sorteio

E hoje finaliza a semana de divulgação do livro Pérolas da Minha Surdez da Nuccia De Cicco. Confesso que amei poder ajudar e já estou sentido falta. Foi muito bom conhecer um pouquinho mais da escritora e de sua obra, desejo muito sucesso e que esse seja apenas o começo. 


Lançamento do Livro Pérolas da Minha Surdez


Quando: 19/março
Horário: 17 às 19hs
Onde: Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas 
Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, Rio de Janeiro, RJ
Informações sobre transporte, programação e outros você encontra no Evento no Facebook
Compre o livro com antecedência! Evite fila!!


Não pode ir e quer comprar o livro? Converse com a autora: nucciadecicco@gmail.com

Sorteio de Lançamento


Regras Gerais do Sorteio



- Residir em território nacional. 

- O sorteio é válido até o dia 10/ABRIL às 23:59 hs. O resultado estará disponível no dia seguinte nesta mesma postagem.

- Serão sorteados 2 (dois) exemplares do livro, acompanhado de marcadores e brindes, conforme a imagem de divulgaçao.

- O(s) vencedor(s) tem até 2 dias após responder o e-mail do resultado. Após o prazo, sem retorno, outros ganhadores serão escolhidos.

- O prêmio será enviado PELA AUTORA em até 30 (trinta) dias. A entrega dos Correios costuma ser em 15 dias. Após este tempo, nada mais poderá ser reclamado.

- O prêmio é individual, intransferível, não passível de troca e não poderá ser convertido em dinheiro.

- Os e-mails dos ganhadores estarão preservados e não serão divulgados.

- A participação nesta promoção implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.

- Este concurso é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita.


Adoraria poder ir ao lançamento, mas infelizmente não será possível. Quem puder, por favor me represente. Muito obrigada pela confiança Nuccia, e que seu caminho como escritora seja longo e repleto de palavras. Ah, e boa sorte a todos que participarem do sorteio. 

17 março, 2016

Divulgação - Pérolas da Minhas Surdez De Nuccia de Cicco - Primeiras Impressões.

Livro - Pérolas da Minha Surdez
Autora - Nuccia De Cicco
Eidotra WWlivros - 123 pgs

E continuando a semana de divulgação de Pérolas da Minha Surdez, hoje eu trago pra você minhas primeiras impressões do livro. 

Eu sou professora de rede pública, e já passei por algumas cidades no estado de São Paulo. Há um tempinho trabalhei em Piracicaba (ai que saudade), em uma escola que recebia muitos alunos surdos da cidade. Foi minha primeira experiência com esse público, e confesso que amei trabalhar com eles. Aprendi muito com isso, inclusivo um cadinho de Libras.

Eu conheci a Nuccia através do blog dela. Eu via seus  posts sobre livros, mas nunca parei pra conhecer a blogueira, só sabia seu nome. Aí, um dia uma outra blogueira me chamou a atenção pra essa frase: "contos, poesias, livros, séries, filmes, surdez e dança.." Como assim? Surdez? Eu nunca imaginei.  Isso foi o suficiente pra me interessar pela sua história. Quando fiquei sabendo sobre o livro, na hora me cadastrei pra participar da divulgação, e fiquei muito feliz e agradecida quando fui uma das escolhidas.

Mas chega de história e vamos às primeiras impressões.

Li os 2 primeiros capítulos e nem vi o tempo passar. No 1º capítulo ela conta rapidamente sobre sua vida e como ficou surda. Já aqui ela deixa muito claro que rumos o livro vai seguir. Leveza, talvez seja a palavra mais apropriada. Ela fala de si e da sua surdez de maneira leve e até divertida.

"Sou uma bruxa que não se esconde e tem uma cadela branca; uma bióloga que ama cobras e sapos, mas tem um jabuti-fêmea; uma bailarina do Oriente que adora rock e pop e é surda; uma surda que ouve com olhos e fala com as mãos, mas que também ouve com mãos e fala “pelos cotovelos”. Uma pessoa simpática, desbocada, multitarefas, que é lerda de manhã, mal-humorada com fome, detesta pedir ajuda e não suporta gente relaxada ou desleixada."
                                                                                                                                                                                                                  pg 13

Já no 2º capítulo nós a conhecemos como David Coperfield, desde o nascimento, até o momento da surdez total. E tom leve e divertido continua aqui. Isso torna a leitura deveras prazerosa. Pode parecer estranho essa afirmação. Afinal, você vai ler um livro onde uma moça conta a história de como ficou surda, e você me diz que é divertido. Sim, pois o é. E eu achei isso fantástico. A narrativa é extremamente fluida e agradável. E a frase a seguir ilustra bem isso.

"Leitores se conquistam com boas histórias."
                                                                                           pg 15

Eu sempre digo que um bom livro te ganha nas primeiras páginas. Ok, São só as primeiras impressões. Mas confesso que me conquistou. Nos próximos dias trarei minha opinião completa pra vocês. Lembrando que o livro está em pré-venda no link

16 março, 2016

Divulgação - Pérolas da Minha Surdez de Nuccia De Cicco - Curiosidades e Quotes


Continuando com a semana de divulgação do Pérolas da Minha Surdez, hoje vamos conhecer alguns quotes do livro e curiosidades da autora. 


-O TEMPO DE PREPARAÇÃO

O livro "Pérolas..." foi idealizado um ano depois que fiquei surda, mas apenas começou a ser efetivamente escrito no final de 2013/início de 2014. Por que tanto tempo? Sou surda desde 12/06/2007, mas somente alguns anos depois me senti relativamente estável (física e psicologicamente) para discutir a surdez na vida adulta e seus entraves. Enquanto isso, também tentava estabilizar minha carreira profissional na ciência, defendendo o doutorado em Bioquímica. Aí, a casa entrou em reformas, meu pai faleceu, e o livro era a última coisa em que pensava. Quando tudo entrou nos eixos, muito incentivo, apoio familiar e prazo apertado no curso de publicação e contrato, comecei as pesquisas mais difíceis e finalmente o livro saiu dos neurônios para o notebook.


DIVULGAÇÃO ANTES DE TUDO!

Em 2014, quando o livro ainda estava no 3º capítulo, fui convidada pelas profs. Roberta Scchiafino e Vivian Rumjanek, do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ, para apresentar duas palestras sobre minha surdez e meu livro. Elas foram parte de um curso de graduação em enfermagem. Em 2015, o Projeto Surdos/UFRJ, onde trabalho, foi convidado pela TV INES e pelo CANAL FUTURA a fazer entrevistas: sobre apoio científico a surdos e sobre mulheres surdas, respectivamente. Em ambos os casos, os canais ficaram interessados no livro e me chamaram para entrevistas pessoais também. Essas entrevistas, bem curtinhas, não tem data prevista para ir ao ar ainda. Mas fé, pessoas! XD



A PROCURA DA EDITORA

Quando estava fechando o quinto capítulo, um amigo autor e poeta me indicou à editora dele. Dias depois, esta mesma editora me enviou o contrato para apreciação. Enquanto eu avaliava as condições do contrato com esta editora, outras duas entraram em contato comigo: uma leu parte do livro no Wattpad e outra (a atual) é do meu professor do curso de escrita criativa e publicação.
Durante o curso sobre publicação literária, devíamos enviar para o professor uma prévia do livro que queríamos lançar. Ele ficou interessado e acabou escolhendo o livro para ser lançado pela editora dele. Após analisar os três contratos, a wwlivros foi a escolhida.


A ESCOLHA DA CAPA

Inicialmente, a capa que eu usava no Wattpad era muito literal: um cordão de pérolas saindo de um ouvido. Descartamos essa e pensamos em outras imagens: balões de diálogos sem nada escrito, foto da autora, um píer numa praia deserta, etc... Nada agradava!

Então, quase desistindo de encontrar alguma imagem representativa bacana, deixei-me ficar longe da internet por dois dias. E quando retornei, iniciei pesquisando imagens nos bancos de imagens gratuitas que tinham como palavras-chave silêncio, solidão e mar. Foi quando encontrei
aquela foto do caramujo-da-praia. Uma concha solitária que transmite, ao mesmo tempo, isolamento, tranquilidade e o som escondido no interior. E a cereja desse bolo gostoso é a cor da concha: perolada!


Por hoje é só, mas amanhã eu volto com minhas impressões do primeiro capítulo.